sábado, 27 de junho de 2015

Cap. 1 - UMA VIDA CÓMODA


........Marta chegou quase às dezanove horas, com um ar agitado e stressado, pedindo desculpa pelo atraso, justificando-se com a avaria de uma máquina importante da fábrica, Gustavo não deu importância à sua desculpa, na realidade normalmente mal prestava atenção ao que dizia a sua mulher. Ao sentar-se em frente ao volante do seu carro pensou que seria penoso fazer estes duzentos e cinquenta quilómetros de viagens com Marta.

Gustavo colocou o CD de Chico Buarte para o ajudar a fazer a viagem, pensando que Marta não se queixaria pois a música seria calma e tranquila. Preferiria fazer aquela viagem com outra pessoa, achava a sua mulher muito desinteressante, não tinha qualquer gosto cultural, não entendia de música, só via filmes cómicos ou românticos, não gostava de ler e não sabia quase nada daquilo que passava no mundo, não ouvia nem via notícias. Gustavo já não a amava, sabia disso, achava-a uma mulher atraente, gostava do cheiro dela e de fazer amor com ela, mas já algum tempo que não a amava. Não pensava em divorciar-se, Marta era uma boa mãe para os seus filhos, os dois tinham conseguido criar um belo lar com uma bonita casa, tinham uma vida cómoda e confortável, mas estava seguro que se não houvesse filhos ele já teria pedido o divórcio. Alguma vez imaginou que Marta morria e que ficaria com o seu seguro de vida, mas rapidamente tirava essa ideia da cabeça, Marta era uma excelente mãe e Gustavo valorizava isso.


Sem comentários:

Enviar um comentário